Fátima Serrano, Docente e Investigadora da NMS, fala sobre Perda Gestacional Recorrente ao Público

A médica obstetra na Maternidade Alfredo da Costa, docente na NOVA Medical School e investigadora da unidade CHRC fala em exclusivo ao jornal Público em resposta à nova norma clínica da Sociedade Portuguesa de Ginecologia e Obstetrícia.

Fotografia por Rui Gaudêncio (Público)

 

Em conversa com a escritora Isabel Stilwell, a Professora Fátima Serrano conversa sobre a Perda Gestacional Recorrente e reage à norma clínica da Sociedade Portuguesa de Ginecologia e Obstetrícia que visa um estudo detalhado do caso clínico após um segundo aborto consecutivo, em vez de aguardar por um terceiro, como aconselhava a norma anterior.

Baseada em factos científicos a a Professora Fátima Serrano diz ao Público que “A evidência mais recente demonstra que há vantagens em começar um estudo mais precoce destas situações, porque algumas causas se conseguem descobrir e tratar, com uma taxa de sucesso subsequente muito boa”, defendendo que o apoio psicológico ao casal deve começar logo após a primeira perda gestacional. A obstetra frisa a importância do fator idade na PGR e também da evidência empírica já existente para possíveis tratamentos. 

A entrevista completa pode ser lida no site do jornal Público e a tese de doutoramento desenvolvida na NMS, intitulada “Aborto recorrente das causas na mulher às consequências para o casal” pela Professora Fátima Serrano está acessível no repositório da Universidade NOVA